Tecnologia para crianças: como utilizar esse recurso de forma saudável?

6 minutos para ler

Fonte de diversas polêmicas e motivo de discordância entre pais e educadores, a tecnologia na educação infantil ainda não é um assunto unânime nas escolas. Apesar de ser uma ótima ferramenta de aprendizado, ela também pode oferecer riscos ao desenvolvimento das crianças se não for usada da forma correta.

Se você não sabe muito bem como aproveitar esse recurso de forma saudável, não se preocupe. No post de hoje vamos falar mais sobre ele e ajudar você a descobrir algumas estratégias muito úteis. Gostou da ideia? Então continue a leitura e aproveite!

Por que a tecnologia é tão temida pelos pais?

Uma criança no celular o dia todo pode ser motivo suficiente para alguns pais se sentirem horrorizados com a ideia de adotar a tecnologia em seu dia a dia. Os pequenos já nascem com a atenção sendo totalmente captada por vídeos na TV, desenhos animados, dancinhas e todo tipo de conteúdo digital infantil. À medida em que crescem, a situação parece só se intensificar.

A preocupação não é em vão, já que os próprios especialistas no assunto alertam que não é recomendado deixar as crianças muito tempo em frente às telas. Os exageros no uso de tecnologia têm o seu impacto negativo na vida dos pequenos.

O primeiro e mais perceptível deles é o fato de que a tecnologia pode distrair as crianças, fazendo com que elas percam o interesse e o foco em uma atividade rapidamente. Como os recursos virtuais são sempre muito atrativos, intuitivos e muito ágeis, qualquer coisa que demore um pouco mais para ser feita pode gerar impaciência.

Além disso, é impossível ignorar o risco de, eventualmente, a criança acabar tendo acesso a algum conteúdo impróprio na rede, especialmente se o uso da internet não for supervisionado. Então, é importantíssimo que sempre haja um adulto por perto.

Inclusive, existe uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria de que os adultos devem:

  • evitar a exposição de crianças menores de 2 anos às telas;
  • limitar o tempo a 1 hora por dia para crianças entre 2 a 5 anos, sempre com supervisão;
  • limitar o tempo entre 1 a 2 horas por dia para aqueles de 6 a 10 anos, com supervisão;
  • limitar o tempo a 3 horas para adolescentes entre 11 e 18 anos.

Outras recomendações incluem:

  • não permitir que as crianças e os adolescentes fiquem a sós com seus eletrônicos;
  • proibir o uso de eletrônicos à mesa, principalmente nos horários de refeição;
  • desligar todos os dispositivos cerca de 2 horas antes de dormir;
  • criar regras saudáveis para uso dos equipamentos;
  • entre outros.

O mesmo documento ainda alerta para os principais riscos envolvidos com o uso excessivo ou impróprio de tecnologia para crianças e adolescentes, dentre os quais estão:

  • a dependência digital e o uso problemático das mídias;
  • os problemas de saúde mental (ansiedade, depressão, irritabilidade);
  • os transtornos de atenção e hiperatividade;
  • os transtornos do sono e da alimentação;
  • o sedentarismo;
  • o bullying e o cyberbullying;
  • os riscos de sexualidade, nudez, sexting etc.;
  • os comportamentos autolesivos;
  • os problemas visuais, como miopia;
  • os transtornos posturais;
  • o uso de bebidas alcoólicas, vaping e drogas.

Quais são os benefícios da tecnologia na educação infantil?

Apesar de todos esses alertas, é preciso entender que a tecnologia na escola ou em casa pode ajudar muito no desenvolvimento das crianças. Quando essa ferramenta é usada de forma intencional para produzir mais conhecimento, vivências educativas e captação do conhecimento, ela acaba se tornando ainda mais valiosa.

É impossível ignorar o fato de que a tecnologia permite que as crianças tenham mais autonomia no seu processo de aprendizado. Ela agiliza a execução de atividades, expande o acesso a informações relevantes e contribui significativamente para a compreensão dos conteúdos. Isso coloca a criança como protagonista da sua educação.

No mais, os ambientes e recursos virtuais têm um forte aliado, que é o fato de que são dinâmicos, desafiadores e, consequentemente, bem mais motivadores que uma sala de aula, por exemplo. Lá as crianças podem interagir com uma série de recursos lúdicos, visuais, auditivos, cheios de cores e atrativos.

Para tanto, é fundamental que a tecnologia esteja tão bem alinhada aos conteúdos que a criança está aprendendo que ela nem perceba o fato de estar usando um equipamento assim. O ideal é que o dispositivo seja um mero detalhe, uma ferramenta de aprendizado.

Como usar a tecnologia a favor das crianças?

Como você viu, é preciso saber como utilizar a tecnologia a favor da educação e do desenvolvimento das crianças. E para ajudar nessa missão, trouxemos algumas dicas bem simples de serem colocadas em prática. Vamos conferir?

Incentive a leitura online

Os livros em formato digital são uma ótima maneira de incentivar o uso de tecnologia de uma forma saudável. Com eles, a criança pode explorar novos mundos, conceitos desconhecidos por ela até então e outras épocas.

Além disso, ela aproveita para aprimorar suas habilidades de comunicação, criatividade e interpretação, bem como o seu senso crítico. Isso pode ser feito pelo computador, smartphones, tablets ou leitores digitais, que são ideais para essa finalidade.

Gamifique as atividades

Algumas escolas com estratégia de educação humanizada já estão inserindo a tecnologia na sua rotina pela gamificação. Junto a recursos dos jogos, são desenvolvidos trabalhos em grupo e que exigem a cooperação entre as equipes, on e off-line.

Desse modo, além de desenvolver as habilidades tecnológicas das crianças, as atividades também estimulam a interação social entre os alunos e uma certa competitividade saudável. Essa iniciativa é fundamental para associar a tecnologia à proximidade entre as pessoas e não como motivo de isolamento.

Façam pesquisas juntos

As pesquisas na internet também são uma ótima forma de usar a tecnologia a seu favor, em casa ou na escola. Desde a descoberta sobre estudos científicos relevantes para o que está sendo abordado em sala de aula até uma visitinha virtual a vários lugares do mundo, os pequenos podem aprender muito dessa forma.

E o melhor é que esse tipo de trabalho também ensina muito sobre cooperação e colaboração. Se cada um fizer uma parte, por exemplo, no fim os pontos podem ser unidos e todos descobrem uma grande história sobre algum tema.

A tecnologia na educação infantil pode, sim, ser uma ótima ferramenta de aprendizado e desenvolvimento. Para tanto, ela precisa ser utilizada com supervisão e sempre direcionada para assuntos e finalidades específicas, seja pelos pais ou por um professor.

Gostou do que viu por aqui? Então não deixe de compartilhar este post em suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário